quinta-feira, 14 de julho de 2011

ENQUANTO ISSO NUMA LIQUIDAÇÃO...

Edna Ermelina (maldita mania de juntar nomes de avós) insistiu com seu pai para ir a um shopping em liquidação. Nenhuma novidade, pois a vida cultural da cidade se resume a dois eventos anuais e de resto... shopping.

Seu Chico Olavo, pai de Edna, teve a menina já depois dos 50 anos, abusado da sua esposa e abandonado pela amante. Dona Ava Gadner Santos (maldito costume de colocar nomes de atrizes nas pessoas), sua esposa, foi glorificada numa igreja evangélica com o dom de Sarah e teve Edna aos 53 anos, porque nas condições em que se encontra, esperar pelos 90 anos ao lado do marido ia ser um martírio perpétuo. Criaram a menina com muito zelo e a bichinha sempre foi nervosa porque desconfiava que era adotada. Apelidado de “gala rala” na sua cidade natal, agora seu Chico Olavo podia se vangloriar de estar funcionando a pleno vapor mesmo com 60 anos. Ele não se lembra bem da noite em que Edna Ermelina foi concebida, mas nem perguntou a dona Ava Gardner. Tinha tomado viagra pra visitar sua amante de 23 anos, e como ela tinha ido pra uma balada, resolveu pegar a velha esposa já com os bobs no cabelo pronta pra dormir.

Edna Ermelina, agora com 15 anos, queria comprar muitas roupas pra impressionar as amigas da escola. Cliente vip das lojas Marisa, agora teria chance de comprar roupas de grife. Convenceu seu Chico a ir, na esperança que ele fosse sorteado com um carro na liquidação. O velho sofria de hérnia de disco e tinha um esporão no calcanhar que o matavam. Edna e mais duas amigas chegaram às 8 horas no portão principal. Às 9 já havia uma multidão se matando pra invadir as lojas de grife. Seu Chico Olavo, espremido na multidão tentou acender um cigarro de palha e quase foi linchado pelos jovens politicamente corretos, que não bebem e nem fumam, só tomam bombas anabolizantes, rivotril pra dormir e prozac pra sorrir.

Abriram-se as portas da esperança. Edna correu louca pras lojas de grife. Sonhava com sapatos a 30 reais, camisetas de 25, jeans de 70. Nas primeiras três lojas quebrou a cara. Peças caras, outras defeituosas, a maioria de tamanhos gigantes, ou seja, raspas e restos que a poucos interessam e cabem. Com a pressão 20 por 11, seu Chico tentava se recuperar de um atropelamento que sofreu por 5 adolescentes se rasgando por um vestido falsificado de uma marca americana. É que algumas peças made in 25 de março foram cuidadosamente colocadas entre as peças em liquidação pra agradar a clientela insuportável de novos ricos leitores das revistas fashion de João Pessoa.

A coitada da Edna Ermelina não teve sucesso na sua busca. Acabou numa loja popular, também em liquidação, comprando peças da coleção inverno 2009. Ligou brava pra seu pai. Seu Chico saindo de uma crise hipertensiva agora buscava desesperadamente um banheiro. Entrava de loja em loja pedindo pra usar o vaso, e ficou impressionado como era que as lojas eram tão grandes mas sem privada. Chegou, enfim, tirou o bolo de nota do bolso e foi pagar o novo guarda roupa de Edna. Recebeu o troco e um punhado de cupons pra concorrer ao carro. Edna, um pouco puta da vida, mas já conformada, levou as amigas e o pai pra lanchar na praça da alimentação. Pediram Mac lanche feliz, enquanto seu Chico procurava uma tapioca. Edna se emputeceu com o pai e exigiu que o velho comesse salada de salmão, última moda nas revistas fashion da capital que ela lia nos consultórios durante à espera de mais de 5 horas de seu plano Unimed. Como toda gatinha new rich ficou comendo e abrindo os pacotes na mesa. Depois obrigou seu Chico a preencher os cupons do sorteio, mesmo sabendo que o pai tinha glaucoma ulcerosa crônica.

Contente e cheia de sacolas da Riachuelo, Edna Ermelina resolveu distribuir os cupons em várias urnas. Numa luta constante nos corredores apinhados, como uma batalha de filmes épicos, Edna arrastava seu velho pai esmurrando velhinhas, acotovelando crianças, para chegar nas urnas espalhadas por todo o shopping. Seu Chico Olavo, numa mistura de arritmia cardíaca com dor no nervo ciático, se perdeu da menina durante uma briga de duas madames por uma sandália de uma loja de marca. Depois de uma tamancada no cocoruto, uma senhora desmaiou e sua oponente saiu vitoriosa pro caixa, pra pagar a sandália no hipi em 12 vezes.

Já na saída, aborrecida com o pai, Edna Ermelina viu um sapato de griffe igualzinho ao da atriz de Rebeldes. Deixou as sacolas com pai carcomido de fome, sede e dores generalizadas e saltou freneticamente pra loja. O sapato era 40 e ela calçava 36. Nada que o jornal do velho pai e o algodão da mãe não resolvessem. Comprou o sapato de verniz, meio riscadinho e com sinais de que já havia sido usado, sacou sua câmera da bolsa e obrigou uma de suas amigas tirar uma foto do sapato novo pra colocar no orkut assim que chegasse em casa. Seu Chico, implorando pra ir embora, passou 1 hora e meia pra sair do estacionamento. Chegou às 2 da manhã em casa, feliz por estar vivo e ter feito sua filhinha feliz, feliz.

Drink liquidação:

1 dose de campari
dois lexotan
Tome de um gole só e vá ser feliz no mundo do consumo e do engano

7 comentários:

jardins de coral disse...

É isso mesmo. Uma mesmice e uma mediocridade que se tentam se esconder por trás dos vidros das vitrines.Por trás do corre-corre.

jardins de coral disse...

O nosso bom Simmel devia estar apreciando as cenas e pitando umzinho com Veblen e Lipovetski (este em carne e osso)

Lucy Westenra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edson Vasconcelos disse...

Seu Chico deveria tomar esse drink durante todo o percurso do shopping. Se não desse, pelo menos uma brejeira pra relaxar...

Edson Vasconcelos disse...

Seu Chico deveria tomar esse drink durante todo o percurso do shopping. Se não desse, pelo menos uma brejeira pra relaxar...

Eduardo Varandas Ararun a disse...

Adorei....

Eduardo Varandas Ararun a disse...

Adorei....