quarta-feira, 13 de abril de 2011

ENQUANTO ISSO NUMA LOCADORA DE MULHER...

ENQUANTO ISSO NUMA LOCADORA DE MULHER...

Cajazeiras é conhecida por suas belezas, seu povo progressista e sua vida cultural abundante. Dayanne Mary cresceu naquela terra maravilhosa e já graúda resolveu pegar um dinheiro de herança e abrir uma locadora, uma locadora de mulher!

O negócio era simples. Ela iria abrir um bar e oferecer aos clientes, além dos drinks e petiscos, um serviço de tele sexo 24 horas via celular. Cadastrou no seu celular mais de 56 meninas de programa e um amigo seu, webprogrammer celulator, criou um sistema no qual após ligar pro número da locadora de mulher, o cliente ouvia o seguinte menu:
tecle 1 para louras, tecle 2 para morenas, tecle 3 para negras; tecle 5 para voltar ao menu e vá tocar uma;
após a escolha, outro menu:
tecle 1 para uma completa; tecle 2 para uma meia; tecle 3 para uma rapidinha; tecle 4 para boquete, tecle 5 para voltar ao menu e vá tocar uma;
após esta nova escolha:
tecle 0 para outras opções...
Depois o cliente falaria com a menina e marcaria o encontro no bar de Dayanne Mary.

Uma carola de igreja soube pelo sacristão que o cunhado dela havia solicitado os serviços da locadora de mulher. Prima do juiz e amante de um político local, acionou seus contatos para impedir aquele descaramento. Um liga de moralistas fez um abaixo-assinado para fechar o bar de Dayanne Mary. Lucas de Maroca, conhecido raparigueiro, se encarregou de passar a lista para as pessoas de bem. As mulheres casadas assinaram em massa e obrigaram os maridos, mesmo os já conhecidos chifreiros, a também assinar. O chefe do movimento gay fez questão de assinar, porque achou sexista a atitude de só ter mulher e nenhum bofe para locação. Uma feminista o acompanhou porque achava que as meninas não entravam na categoria mulher-emancipada-empoderada-empoeirada. Duas sapas foram obrigadas por suas namoradas a assinar o documento. Um daqueles intelectuais com cara de meio abestado e meio tarado, me parece que antropólogo, tentou em vão fazer uma pesquisa participante para um mestrado destes que estudam tudo.

O alvará de Dayanna Mary foi assim cassado. Desolada e perambulando pelas ruas da amargura, ela foi acolhida por uma igreja evangélica. O pastor e sua mãe levaram Dayanne para um rio quase seco e a batizaram para livrá-la das artes do satanás. Um irmão da igreja quis pegar o celular de Dayanne para tirar todos os demônios e maldições daquela locadora infernal. Vendeu a locadora de mulher para um diácono de uma cidade vizinha que locava as meninas e rachava os lucros com um pai de santo que cedeu uma casa para os encontros e para um pastor ex-traveco que às vezes atendia os clientes quando as meninas faltavam.

A paz foi assim estabelecida na pacata cidade. Mas o número da locadora de mulher é ainda disputado a tapas...

Drink locadora de mulher:

um copo de pau do índio
uma pitada de catuaba
disque 0800 meia dura meia mole e siga o menu!