segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

ENQUANTO ISSO UM FUNCIONÁRIO DO ESTADO DESEMPREGADO...

Manuel Teodoro Palmeira Novais conseguiu sem emprego pelos favores que seu tio fez ao governo estadual quando era juiz eleitoral. Formou-se num curso qualquer na UFPB, pagando sempre aos mais pobres para fazer seus trabalhos, se oferecendo para entrar num grupo tal, subornando uns e outros, estas engenhosidades que os burgueses burros fazem pra subir na vida.

No estágio prático foi reprovado, mas conseguiu uma boa nota dando uma cesta de natal que o tio ganhou de um advogado de sucesso a um funcionário de plantão.  Ainda se cogitou na família que Manuel fizesse Direito pra vender as sentenças de seu tio no mercado penal e cível.  Mas ele não tinha talento pra tanto, pois nesta área do Direito tem que se fazer as coisas direito.

Manuel tentou em vão abrir uma clínica.  Sangrou a pobre mãe e exigiu uma sala equipada pra tratar de seus futuros clientes.  A barca furou quando ele tentou agarrar um dos seus pacientes, rapazote de 16 anos.  Manuel foi processado, mas seu tio alegou que aquela era uma prática nova importada dos Estados Unidos e que saiu até no Cansástico da rede Globo.

Conseguiu uma boquinha no governo do Estado e entrou como professor. Nunca deu uma aula, pois logo logo seu tio arranjou-lhe uma tetinha mais gorda ainda  no setor da justiça, que paga bem aos amigos e fode os funcionários de carreira.

Ricardo Coutinho acabou com a farra de Manuel.  Ele foi chorando ao colo do titio que lhe virou a cara fingindo que nunca o conhecera.  Voltar pra sala de aula nunca! A nobre família de Manuel tentou falar com políticos importantes.  Mas políticos importantes não recebem gente falida e nem gente sem cabrinhas pro seu curral eleitoral. A mão de Manuel deixou de usar produtos da Payot e agora compra Avon e derrama em frascos de Lancôme.  Seu pai, já cansado daquele filho imprestável, viciou-se em Rivrotil com Montilla, que bebe no último cálice de cristal que há na casa.  Manuel está em depressão com as mensalidades de uma academia chique em atraso, o leasing do carro impagável e uma corrente de ouro empenhada há 9 meses.

Manuel Teodoro não se baixa.  Atualmente pensa em dar um golpe no seu tio prometendo-lhe não denunciar suas falcatruas na imprensa.  Pensa agora realmente em fazer Direito. 

Drink desempregado do Estado revoltado:

1 copo de cachaça
Tome, pois é tudo que seu salário de desempregado agora pode comprar

3 comentários:

Saulo Oliveira disse...

Conheço vários nesse perfil.

Saulo Oliveira disse...

Vários nesse perfil.

Edson Vasconcelos disse...

Qualquer semelhança com o momento presente não é mera coincidência. A "boquinha" e o "jeitinho" sempre imperaram. É gente chiando em todo o canto...

Você está se superando nas misturas, Adriano. Só de pensar no Rivrotil com Montilla já fiquei com gastura.