sábado, 15 de janeiro de 2011

ENQUANTO ISSO NUMA MANSÃO EM CAMBOINHA...

Severino Marcolino, empresário do ramo de cerâmica, fez fortuna em Patos traficando meninas pobres para bordéis em Cabrobó em troca de cargas de maconha prensada.

Chegou a João Pessoa com muita grana e resolveu lavar todo dinheiro sujo no ramo de imóveis de luxo e uma fabriqueta de cerâmicas para construção civil.  Comprou um apartamento de cobertura e dona Evilásia Marcolino contratou os melhores decoradores para encherem o ap de entulhos caros que ela misturava com quinquilharias coloridas.  Têm dois filhos.  Um rapaz ligado com tráfico de extase e uma patricinha compradora compusiva de sandálias de plástico com salto.  Ambos burros e bem sucedidos no ramo da encrenca.

Biu Marcolino, incentivado pelos novos amigos que não têm no cu o que o priquito roa, resolveu comprar uma mansão à beira mar da praia de Camboinha.  Dona Evi, apelido dado por uma colunista que vive sugando a velha senhora, entupia a casa de estátuas gregas, Frei Damião em tamanho natural e na piscina da casa, um Padre Ciço jorrando água pela bengala.

Na última quarta, receberam a visita da Energisa, que cortou a energia da mansão porque descobriu um gato de há mais de dois anos. O filho trambiqueiro contratou um bandido redimido pra fazer a ligação através de um túnel que roubava energia do poste e ligava os 21 ar condicionados splits da casa, a sauna, a cachoeira artificial, a banheira de hidromassagem e uma queda d´água no aquário da sala principal.  Dona Evi marcou um jantar com os amigos de seu Biu Marcolino com a ajuda de sua colunista preferida, que por sinal adorava festinhas na casa dos Marcolino, pois sempre levava uns brindes pra sua própria casa:  caixas de champanhe, alguns copos de cristal e mesmo sobras de bacalhau e lagosta que ela dizia ser para as velhinhas do abrigo São José. 

Os convidados, famintos, chegaram à mansão às escuras.  A colunista, já pensando no rapa da noite, convenceu a todos que era um lual in home, com direito a velas e tochas improvisadas usadas na última festinha da filha demente.  Depois descobriu-se que a maioria dos convidados também tiveram sua energia cortada por ter feito gatos na energia.  Todos riram mostrando os dentes recém polidos por uma técnica de branqueamento que deixa os dentes florescentes nas noites sem luz. 

Drink gato da Energisa:
1 dose de Chivas contrabandeado do Paraguai
1 copo de água de côco
quatros cubos de geladose
Tomar na sauna que funciona com energia roubada

Um comentário:

Renato disse...

Parabens pela estrutura e conteudo de seu blog, Forte abraço Renato Artesanato em MDF