domingo, 12 de outubro de 2008

ENQUANTO ISSO NO MUNDO ANTI-GAY...

ABAIXO A OMOSSEXUALIDADE!

Vamos então à polêmicas dos pastores da VINACC – Visão Nacional dos Ativistas Contra o Cu, Projeto Jonas – Religiosos que adoram ser comidos por indivíduos tamanho baleia e um segmento católico EDMEGM – É dos Meninos que Eles Gostam Mais que estão lutando desesperadamente contra os gays, lésbicas, simpatizantes, travecos, travados, tarados, taludos, surubeiros e outras siglas que não me vêm à cabeça agora. Outdoors, passeatas, cartas, manifestos e manifestações.

Eu tenho a solução para tudo isso: vamos acabar com o conceito de homossexualidade e criar o conceito de omossexualidade. Isso. A omossexualidade é um mal que deve ser combatido por toda raça humana. Explico-me. Omossexual é aquele sujeito que adora transar com caixa de sabão em pó, fazer suruba numa piscina de espuma de sabão em pó, andar sempre limpinho com roupas lavadas com sabão em pó.

A questão é que no movimento anti-gay evangélico há muitos omossexuais. Aqueles pastores em dia de culto de paletós engomadinhos, de cabelo igualmente engomadinho são todos omossexuais. Colocam suas esposas e domésticas-de-cama para lavarem seus trajes domingueiros com sabão em pó. O sabão em pó, ao entrar em contato com o pênis faz com que este vibre numa freqüência muito alta e os caras saem transando nos bastidores com as fiéis, com os fiéis e também com alguns infiéis que traem os maridos e esposas quando vão pro culto orar. Entre os católicos, o contato com o sabão em pó transforma os padres e fervorosos católicos em omossexuais também. Nestes, graças aos efeitos alucinógenos das músicas do Padre Marcelo Rossi, o contato da pele com o sabão em pó leva padres a exercerem ao pé-da-letra a máxima “deixai vir a mim as criancinhas”. Há casos relatados no site da CIA em que freiras católicas, depois de usar o sabão em pó, passaram a também querer produzir o dito cujo, fazendo sabão até revirar os olhos. A omossexualidade é um absurdo mesmo. Há casos no site do FBI de homens cristãos de boa moral casados e omossexuais. Depois que suas amantíssimas esposas passaram a usar o sabão em pó, eles se acostumaram a sentar na boneca, a torar a rosca, a dar o anel, talvez numa tentatica vã de manter sempre livre e limpo um local tão absurdamente sujo e anti-natural quanto é o cu.

Os gays e sapatões também não deveriam brigar com os religiosos por isto. Tem muito gay omossexual. Se você perguntar a maioria dos gays a sua preferência, 90% vão se dizer ativos, o que significa que também eles foram contaminados pela mania de limpeza causada pelo sabão em pó. As sapinhas omossexuais são mais leves, uma vez que sua prática já envolve as técnicas da saboaria. Portanto padres, arcebispos, pastores, diáconos, povinho da moral da família e dos bons costumes, esqueçam os homossexuais e lutem contra os omossexuais, por uma sociedade livre desta mania de limpeza que nos arrasta para a sujeira do preconceito!

Um comentário:

Ramon disse...

Outro dia, eu sonhei que era um censor. Minha primeira medida foi tirar de circulação todas as músicas do Podre Marcelo Rossi e punir violentamente qualquer resistência. Existe algo mais nauseabundo que aquela criatura, irmão gêmeo de Mestre Splinter, de mãos unidas apontadas para o céu e sorriso parvo?